Covid-19 · Observatório · Resumo · Semana 05 · Semana epidemiológica

ResumoDF – #20

Semana epidemiológica 5
(de 31 de janeiro a 6 de fevereiro)

A situação da epidemia de Covid-19 no Distrito Federal (DF), na semana 5, mostra o quadro abaixo.

número acumulado de casos confirmados subiu de 269.350 na semana 3, para 280.599 na semana 5 de 2021, ou seja, num espaço de 2 semanas epidemiológicas, houve o incremento de 11.249 casos, conforme o Painel Brasil – Dados consolidados para as Unidades Federativas considerando os boletins epidemiológicos mais recentes. Atualizado em 06/2/2021, às 21h02. Dados das Secretarias Estaduais de Saúde, via Ministério da Saúde.

| Números de casos confirmados |
MonitoraCovid-19@Fiocruz https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/ Acessado em 7/02/2021

 

O número de casos novos confirmados nesta semana foi de 4.027. Para efeitos de comparação, na semana 3 foram 5.594 casos novos e na semana 4 com 7.222 casos novos. Portanto, houve uma redução de 44% dos casos entre a semana 4 e 5.

| Números de casos novos |
MonitoraCovid-19@Fiocruz https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/ Acessado em 7/02/2021

A taxa de incidência até a quinta semana de 2021, na área geográfica do DF, mostra que o número de casos novos para cada 100 mil habitantes, subiu de 8.823,78 na semana 3 para 9.184,46 na semana 5.

| Número de casos por 100.000 hab |
| (Incidência) |
MonitoraCovid-19@Fiocruz https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/ Acessado em 7/02/2021

 

Como temos repetido nos últimos resumos, o número de casos confirmados está diretamente relacionado à quantidade de testes disponíveis e realizados, medida que impacta os dados epidemiológicos, uma vez que quanto menor o número de testes realizados, menor a capacidade de identificar novos casos e controlar a transmissão pelo monitoramento dos contatos.

Nesse sentido, em relação à quantidade de testes efetuados no DF, de acordo com Painel Covid 19 no Distrito Federal, a quantidade total de testes RT-PCR rápido e Sorológico realizados desde o início da pandemia não está sendo atualizada desde 10 de novembro de 2020, permanecendo o quadro apresentado pelo Resumo #15 deste Observatório.

O número absoluto de óbitos acumulados em todo o DF subiu de 4.468 na semana 3 para 4.608 na semana 5. Um registro de 63 óbitos nesta semana, contra 56 óbitos registrados na semana 3 e 77 óbitos na semana 4.

| Números de óbitos confirmados |
MonitoraCovid-19@Fiocruz https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/ Acessado em 7/02/2021

 

A taxa de mortalidade por Covid-19, que mostra o número de óbitos para cada 100 mil habitantes, aumentou de 146,37 na semana 3 para 150,69 na semana 5.

| Número de óbitos por 100.000 hab |
| (Mortalidade)|
MonitoraCovid-19@Fiocruz https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/ Acessado em 7/02/2021

 

O número de leitos de UTI no setor público exclusivos para pacientes de Covid-19 apresenta um aumento em relação à semana 3, conforme quadro abaixo. Estes leitos são ocupados somente por pacientes confirmados de Covid-19. Na semana 3 a taxa estava em 66,08%, e, nesta semana 73,72%. Esta taxa é bem flutuante e altera várias vezes diariamente. A taxa verificada no quadro abaixo foi acessada em 7/02/2021 às 10h10:

Quanto aos leitos de enfermaria para Covid-19 a taxa de ocupação teve um aumento de aproximadamente 20 pontos percentuais nesta semana em relação à semana 3 com uma taxa de ocupação de 49,07%. Na figura abaixo podemos verificar a quantidade total de leitos e suas ocupações:

A taxa de ocupação hospitalar aumentou na rede particular considerando a semana 3 com 75,76% em comparação com a semana 5, registrando 77,39% no que se refere a leito adulto específico para Covid-19. A taxa de leito pediátrico específico para Covid-19 que na semana 3 estava em 0% de ocupação, esta semana, o último registro foi de 0% de ocupação, conforme verificamos no quadro abaixo:

O cálculo do número reprodutivo efetivo é realizado a partir do número de casos confirmados, por data de início de sintomas de todos os casos confirmados. A evolução da Covid-19 pode ser avaliada em função do R(t), que representa o número de sua reprodução. Se o valor de R(t) for maior que 1, significa que a pandemia está avançando, se R(t) for menor que 1, a pandemia mostra-se em descenso. O R(t) é estimado a partir dos casos notificados oficialmente. Estudos indicam que há subnotificação dos casos de COVID-19, isto é, há casos de contaminados não identificados e, consequentemente, não computados nas estatísticas oficiais.

MonitoraCovid-19@Fiocruz https://bigdata-covid19.icict.fiocruz.br/ Acessado em 7/02/2021

 

RESUMO

taxa de ocupação de leitos adultos de UTI no DF continua elevada tanto no setor público, quanto no setor privado quando comparado com a semana 3. Dessa forma, a taxa de ocupação no setor público e privado não atendem ao critério adotado neste Observatório de disponibilidade de leitos igual ou superior a 30%.

número absoluto de casos novos (ou incidência) de Covid-19 na semana 5. Os números mostram ainda um grande número de casos novos, embora tenha havido uma redução significativa em relação à semana 4. No entanto, o número de casos novos permanece num patamar alto quando comparamos ao registrado na semana 45 de 2020, momento em que foi decidida a retomada das atividades pedagógicas presenciais.

  • semana 33: 14.270 casos novos
  • semana 34: 11.033 casos novos
  • semana 35: 12.399 casos novos
  • semana 36: 9.079 casos novos
  • semana 37: 7.041 casos novos
  • semana 38: 7.448 casos novos
  • semana 39: 5.512 casos novos
  • semana 40: 6.175 casos novos
  • semana 41: 4.786 casos novos
  • semana 42: 4.735 casos novos
  • semana 43: 4.457 casos novos
  • semana 44: 4.484 casos novos
  • semana 45: 2.605 casos novos
  • semana 46: 3.862 casos novos
  • semana 47: 3.666 casos novos
  • Semana 48: 4.697 casos novos
  • Semana 49: 5.301 casos novos
  • Semana 50: 5.258 casos novos
  • Semana 51: 5.200 casos novos
  • Semana 52: 4.094 casos novos
  • Semana 53: 4.946 casos novos
  • Semana 1: 5.279 casos novos
  • Semana 2: 5.603 casos novos
  • Semana 3: 5.594 casos novos
  • Semana 4: 7.222 casos novos
  • Semana 5: 4.027 casos novos

A curva de casos novos, na semana 5 ilustra uma redução semelhante a que ocorreu na semana 45, o que pode abrir a perspectiva de retorno à redução gradativa de caos novos. Contudo, a semana 7 que corresponde ao feriado de carnaval pode repercutir negativamente a partir da semana epidemiológica 8. Vale ressaltar que o critério adotado neste Observatório, de pelo menos três semanas com redução constante de novos casos, ainda não foi alcançado neste ano.

número absoluto de óbitos nesta semana epidemiológica 5 foi menor em relação à semana 4, com uma redução de 77 para 63 óbitos, mas ainda superior ao registrado na semana 45, em torno de 40% acima. Contudo, ainda não se configura uma redução de óbitos segura conforme podemos observar nas últimas três semanas:

  • semana 33: 246 óbitos
  • semana 34: 299 óbitos
  • semana 35: 193 óbitos
  • semana 36: 250 óbitos
  • semana 37: 183 óbitos
  • semana 38: 165 óbitos
  • semana 39: 135 óbitos
  • semana 40: 126 óbitos
  • semana 41: 103 óbitos
  • semana 42: 127 óbitos
  • semana 43: 84 óbitos
  • semana 44: 60 óbitos
  • semana 45: 45 óbitos
  • semana 46: 73 óbitos
  • semana 47: 49 óbitos
  • semana 48: 58 óbitos
  • semana 49: 58 óbitos
  • semana 50: 81 óbitos
  • semana 51: 79 óbitos
  • semana 52: 60 óbitos
  • semana 53: 70 óbitos
  • semana 1: 83 óbitos
  • semana 2: 61 óbitos
  • semana 3: 56 óbitos
  • semana 4: 77 óbitos
  • semana 5: 63 óbitos

número reprodutivo efetivo (Rt), em média, no DF, nesta semana, está em 0,83. A Figura 6 mostra que os maiores valores de R(t) registrados foram em março 3,10 e 2,99. Com oscilações abaixo de 2.0 entre os meses de abril a julho, e atualmente com um R(t) de 0,83.

Este é o vigésimo Resumo do Observatório, o terceiro do ano de 2021, abrangendo a semana epidemiológica n. 5. Os dados apresentados evidenciaram que o atual cenário da pandemia no DF à luz dos critérios aprovados pelo Fórum das instâncias para serem monitorados pelo Observatório, ainda não reproduz o cenário favorável verificado, por exemplo, na semana 45 de 2020. À exceção do número reprodutivo efetivo (Rt), os demais dados estão fora do estabelecido para um retorno seguro às atividades presenciais.

O GDF iniciou neste intervalo de tempo o processo de vacinação, tendo vacinado até o dia 5/2 97,7 mil vacinados contra a Covid-19 no grupo prioritário. Fazem parte do grupo prioritário idosos com 80 anos ou mais; todos os profissionais da ativa na rede pública de saúde; profissionais dos hospitais privados; idosos a partir de 60 anos e pessoas com deficiência que vivem em unidades de acolhimento e os cuidadores que atuam nessas instituições; povos indígenas que vivem em terras indígenas; pacientes internados em Home Care; pacientes internados no Núcleo Regional de Atendimento Domiciliar (AD2 e AD3 – pacientes internados em casa e acompanhados pelas equipes do Nrad da Secretaria de Saúde); e trabalhadores dos serviços de Atenção Pré-Hospitalar (APH): Resgatistas do Corpo de Bombeiros Militar e outras instituições privadas que prestam APH.

Estes 97.793 vacinados, com a primeira dose, representam apenas 3,02% da população do DF. Ainda que seja a maior taxa de vacinação do país, para se ter um ambiente seguro falta muito para se alcançar uma taxa adequada, na casa dos 70%, com as duas doses aplicadas.

Neste momento em que a escola faz um esforço em se organizar buscando oferecer aulas híbridas para mitigar os danos que o isolamento social provoca, no aprendizado e no desenvolvimento das crianças, reforçamos a importância da conduta das famílias para garantir a segurança das crianças, dos educadores, dos trabalhadores e das famílias.

Com isso faz-se prioritário seguir as orientações dos órgãos responsáveis e da escola, obedecendo rigorosamente os protocolos de cuidados na escola e fora dela.