Observatório · Termos epidemilógicos

| O que é Distanciamento?

Medida aplicada aos indivíduos que não tiveram nenhum contato com pessoas doentes, não viajaram para áreas de risco e nem testaram positivo para COVID-19. O objetivo desta medida é a de distanciar as pessoas para diminuir o risco de transmissão. As medidas mais básicas de um distanciamento estão em não realizar eventos que reúna pessoas, fechamento parcial ou completo de locais que causem aglomerações como escolas, comércios, templos religiosos, academias, parques públicos e entre outros.

A noção de “distanciamento social” tem como referência longínqua aplicações da teoria matemática de redes à epidemiologia, particularmente no estudo das cadeias de contágio de doenças transmissíveis. Limitar a propagação do patógeno evitando a agregação de pessoas em eventos de massa, reuniões, festas, espaços públicos ou transporte coletivo, mantendo efetiva distância de segurança (nesse caso, dois metros) de outras pessoas.

A OMS, a Unicef e a União Europeia, utilizam a expressão “distanciamento físico” adotada pela Abrasco ( Associação Brasileira de Saúde Coletiva) para designar tais ações, classificadas no capítulo das quarentenas parciais, reservando o termo “isolamento” para referir à restrição ou supressão de contatos interpessoais para sujeitos potencialmente infectados ou expostos. O distanciamento social seria um resultado colateral indesejável, tanto relativo ao contraste como à redução de relações sociais e afetivas; tem-se procurado superar o distanciamento social com apoio das tecnologias de comunicação e do próprio ativismo nas redes digitais. Em suma, para a redução efetiva da transmissão numa epidemia, precisamos ficar fisicamente separados, mas, para superar o potencial impacto negativo da pandemia sobre a saúde mental coletiva, devemos permanecer conectados social e afetivamente.

https://www.abrasco.org.br/site/wp-content/uploads/2020/07/PEP-COVID-19_v2.pdf